ligamento cruzado anterior

Lesões do Ligamento Cruzado Anterior


Elástico e resistente, é assim que se define o ligamento cruzado anterior em poucas palavras.

Mas por mais que o LCA seja capaz de suportar pressão e extensão, quando seus limites são superados ele pode se romper.

Uma ruptura do ligamento cruzado anterior pode desestabilizar todo o joelho

O que é o Ligamento Cruzado Anterior?


O LCA ajuda a garantir uma boa rotação e movimentação para a nossa articulação, ao mesmo tempo que garante uma melhor distribuição de peso sobre os componentes do joelho.

Além de controlar os movimentos do joelho, o LCA também é responsável por transmitir informações sensoriais que partem do centro da articulação e vão para o cérebro. Isso permite que a pessoa tenha a sensação do movimento que está acontecendo e possa ter melhor coordenação motora.


Sintomas de uma lesão no Ligamento Cruzado Anterior


Na maioria dos casos em que o LCA sofre lesão, esses são os primeiros sintomas:


  • Dor intensa no joelho
  • Inchaço rápido
  • Estalo alto 
  • Dificuldade para por peso sobre a perna
  • Instabilidade para andar 

Com o passar dos dias, esse quadro mais exuberante deixa de existir, permitindo que você retome suas atividades não esportivas normalmente. A melhora é tão significativa que muitos até ousam praticar esportes de risco mesmo com a lesão do LCA.

O problema é que uma lesão do ligamento cruzado anterior pode acarretar na lesão de outras partes do joelho (meniscos, cartilagem e osso). Isso pode quase literalmente destruir sua articulação, levando a casos graves de artrose.


Tipos de lesão do Ligamento Cruzado Anterior


Há várias formas de causar lesões ao ligamento cruzado anterior, e nem todas elas dependem de contato. 


Lesão com contato do LCA


Esse é o tipo de lesão que pode ocorrer quando você sofre um impacto no joelho (como uma batida, um acidente, um drible, um golpe de luta) que empurra o ligamento cruzado anterior além do limite, levando a uma lesão.

Ela pode decorrer de uma fratura em algum dos componentes do joelho (como o fêmur ou a tíbia), ao que costuma seguir também uma lesão do LCA e mesmo de um dos meniscos. 

Além disso, um impacto suficientemente forte tanto na parte da frente quanto na parte de trás do joelho podem sobrecarregar a capacidade elástica do LCA, levando a um rompimento.


Lesão sem contato do LCA


Outras lesões do ligamento cruzado anterior podem acontecer sem um impacto ou contato direto.

Esse é o tipo mais comum de lesão do LCA. 


Lesão por Hiperextensão do LCA


Uma forma de lesão sem contato é a lesão por hiperextensão, quando estendemos demais a perna (ao cair e escorregar, por exemplo), deixando o joelho em formato de “V”. 

As estruturas do joelho não estão preparadas para tanta extensão, o que pode gerar rompimentos graves do ligamento cruzado anterior e mesmo da artéria poplítea, a principal artéria do joelho.


Lesão por excesso de pressão sobre o LCA


Quem carrega muito peso ou sofre de obesidade mórbida também corre o risco de sofrer uma lesão muito parecida com a de impacto, na qual o peso e a ação da gravidade empurram o joelho para frente causando rompimento do LCA. 


Lesão por rotação do LCA


O outro tipo de lesão sem contato do ligamento cruzado anterior acontece durante movimentos giratórios (como passos de dança ou durante a esquiva em uma luta).

Nesse caso, o joelho e o corpo giram excessivamente para fora ou para dentro, enquanto o pé gira na direção contrária. 

Essa torção estica o LCA excessivamente, causando sua ruptura.


Tratamento cirúrgico do Ligamento Cruzado Anterior


Em alguns casos, como em pacientes mais jovens e pacientes com uma alta demanda desse ligamento (como atletas), o tratamento cirúrgico pode ser a melhor estratégia.

Como esse ligamento não cicatriza nem se regenera sozinho, ele demanda uma reconstrução cirúrgica. 

A reconstrução é feita por meio de enxertos tendíneos ou ligamentares fixados no fêmur (osso da coxa) e na tíbia (osso da canela), em pontos similares ao do LCA.

Como as lesões de Ligamento Cruzado Anterior muitas vezes estão associadas a lesões de outras estruturas do joelho, como a cartilagem e os meniscos, é preciso avaliar o estado dessas estruturas durante a operação.

Atualmente, esse procedimento é feito por artroscopia, exigindo assim apenas pequenos furos no joelho ao invés de incisões mais longas. 

O uso da artroscopia para operar o ligamento cruzado anterior reduz muito o tamanho da incisão necessária.

Recuperação da cirurgia de Ligamento Cruzado Anterior



Primeiras 4 semanas


Nesse começo, é recomendado que o paciente ande com o auxílio de muletas, permaneça em repouso relativo e retome progressivamente a atividade laboral, isso se a profissão não demandar esforços como carregamento de peso, agachamento e posições desconfortáveis. 

Nesses primeiros dias o foco é diminuir o inchaço (edema), recuperar a ativação do quadríceps e a extensão máxima do joelho.


Quando posso voltar a praticar esportes?


Em cerca de 9 a 12 meses, o paciente pode voltar a praticar esportes como anteriormente. 

Para tanto, é necessário realizar a reabilitação adequadamente, bem como “reaprender” a realizar o esporte, o que chamamos de treino pedagógico (ou educativo). 

Se o paciente for apressado e insistir no retorno precipitado ao esporte, poderá sofrer uma nova lesão do ligamento cruzado anterior.


Joelho “travado” depois da cirurgia de LCA é normal?


Apesar de ser normal ter certa dificuldade de movimento do joelho nas primeiras semanas do pós-cirúrgico, o bloqueio articular completo nunca é um bom sinal.

Se o seu joelho “trava” depois da cirurgia, isso pode ser indicativo de algum problema na recuperação ou de uma resolução insuficiente do problema que levou ao rompimento do LCA


Plasma Rico em Plaquetas no tratamento de lesões do LCA


Recentemente, se vê cada vez mais que o uso do plasma rico em plaquetas  no tratamento das lesões do LCA pode ser um grande aliado na recuperação. 

O plasma é a parte “líquida” e clara do sangue, composta majoritariamente de água e proteínas, mas sem hemácias. É também no plasma que encontramos as plaquetas, responsáveis pela cicatrização em cortes e outras lesões nas quais há sangramento.

O tratamento com plasma rico em plaquetas consiste justamente em usar o plasma do próprio paciente para estimular a cicatrização e a recuperação em outras áreas do corpo. 

No caso de uma ruptura do ligamento cruzado anterior, ele pode ser usado durante e após o procedimento cirúrgico para contribuir com  a recuperação do LCA após a reconstrução cirúrgica. Por ser uma injeção do plasma da própria pessoa, o procedimento é pouquíssimo invasivo e tem chances mínimas de rejeição e efeitos adversos, mas pode auxiliar  na recuperação.

O Dr. Carlos Vinícius Buarque de Gusmão é ortopedista, especialista em Joelho, ondas de choque e Tratamentos Minimamente Invasivos (infiltração, denervação, PRP e Bloqueio dos geniculares) e atende em São Paulo, na Vila Mariana e no Morumbi. Se quiser tirar suas dúvidas, clique aqui!

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn