ortopedista

Dor na virilha, a famosa pubalgia


Essa dor é muito comum em jogadores de futebol, não só os profissionais, mas os amadores também. A doença pode ocorrer também em atletas de outras modalidades esportivas como jiu-jitsu, bodybuilding (musculação) e rugby.


Por que a pubalgia acomete tantos atletas


A pubalgia ocorre principalmente em atletas porque envolve a sobrecarga dos tendões que se inserem no osso púbis, que fica na bacia (pelve). Esses tendões podem ser tanto do abdome quanto da coxa (os tendões adutores).

Além dos tendões, o próprio osso púbis e a sínfise púbica (a articulação que une os dois ossos do púbis) podem estar inflamados, ocasionando a osteíte púbica ou a artrose da sínfise púbica.


Entenda de fato o que é a pubalgia


Todo esse conjunto de alterações (sobrecarga, tendinite, osteíte e artrose) é o que chamamos de pubalgia. O atleta com pubalgia sente dor na região da virilha, uma dor profunda, difícil de apontar com o dedo, e que pode também ser sentida na região mais central do corpo (na localização do púbis).


Pubalgia e hérnia são a mesma coisa?


Além de ser uma doença muito difícil de tratar, o diagnóstico dela pode ser difícil, pois simula patologias no abdome e região inguinal (na virilha), como a hérnia inguinal e a hérnia umbilical. Por esse motivo, a pubalgia é também chamada de hérnia do atleta ou hérnia do esporte. Apesar de serem doenças distintas, algumas pessoas têm as duas coisas: a pubalgia e a hérnia inguinal ou umbilical.


Tratamento da pubalgia com Ondas de Choque


O tratamento padrão da maioria das doenças ortopédicas é analgésicos, fisioterapia, exercícios e anti-inflamatórios. Entretanto, a pubalgia é uma doença de tratamento mais demorado e difícil. Por isso, é recomendado acrescentar tratamentos mais eficazes ao tratamento padrão.

Um desses tratamentos é a terapia com Ondas Acústicas de Choque, que são ondas ultrasônicas de alta velocidade e de alta pressão, capazes de diminuir a inflamação no local doente, como o tendão, o osso e a articulação.


Por que as ondas de choque são tão eficazes para pubalgia


As ondas de choque literalmente se chocam contra as células doentes, ativando reações biológicas que melhoram a circulação sanguínea, aceleram o metabolismo e promovem a cicatrização de eventuais lesões.

Desse modo, o tratamento com ondas de choque consegue contribuir para a recuperação do atleta com pubalgia, melhorando sua dor e os movimentos da região da virilha e abdome. Para que isso ocorra, são necessárias algumas sessões de tratamento, pelo menos 3, com intervalo de 1 a 6 semanas entre cada sessão. Junto, é importante manter o fortalecimento e evitar atividades que sobrecarreguem a região enquanto ela estiver fragilizada pela doença.

E aí? Identificou-se com o problema? Faça uma avaliação com o ortopedista especialista pra que você tenha o diagnóstico identificado e, sendo pubalgia, as ondas de choque podem te ajudar. Você não precisa sofrer com a dor. Cuide-se e previna-se!

Dr. Carlos Vinicius Ortopedista SP

Sobre o Dr. Carlos Vinícius

O Dr. Carlos Vinícius é referência no tratamento por ondas de choque em São Paulo. Formado há mais de 10 anos pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), se especializou em cirurgia do joelho pela Universidade de São Paulo (USP) e finalizou seu doutorado em Ciências da Cirurgia também pela UNICAMP.

Saiba mais

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn