Tenis com dor no cotovelo e com epicondilite lateral

Epicondilite Lateral: Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

Introdução

A epicondilite lateral, também conhecida como “cotovelo de tenista”, é uma condição comum que provoca dor e desconforto na parte externa (lateral) do cotovelo. Este distúrbio, predominantemente visto em atletas e indivíduos com atividades que envolvem movimentos repetitivos do braço, pode afetar significativamente a funcionalidade do membro superior. Neste artigo, vamos explorar os sintomas detalhados, os tendões específicos envolvidos, métodos de diagnóstico, a classificação por graus da condição, as opções de tratamento e os cuidados necessários em casos de ruptura do tendão.

 

Sintomas Detalhados da Epicondilite Lateral


Os sintomas da epicondilite lateral vão além da dor e sensibilidade no cotovelo. Os pacientes podem experienciar:

  • Um aumento gradual da dor ao redor do cotovelo externo, especialmente durante e após movimentos intensos ou repetitivos.
  • Dificuldades específicas em atividades que exigem uso de força no antebraço, como apertar a mão, girar maçanetas ou levantar objetos.
  • Sensação de fraqueza no antebraço e dificuldade em estender totalmente o braço.

 

Tendões Afetados na Epicondilite Lateral


Esta condição afeta primariamente o tendão comum extensor do punho, que se liga ao epicôndilo lateral do úmero, mais especificamente o tendão extensor radial curto do carpo. Esses tendões são cruciais para movimentos de extensão do punho e dos dedos, e a inflamação nessa área pode comprometer essas funções.

 

Diagnóstico Aprofundado da Epicondilite Lateral


O diagnóstico da epicondilite lateral é feito com base em:

  • Uma análise minuciosa dos sintomas relatados pelo paciente, histórico de atividades e exame físico, focando em pontos de dor e a amplitude de movimento do cotovelo.
  • Testes específicos, como o teste de Cozen e o teste de extensão do punho, para avaliar a dor e a força no cotovelo.
  • Em casos onde o diagnóstico não é claro, os médicos podem utilizar exames de imagem, como ultrassom ou ressonância magnética, para descartar outras condições e confirmar a inflamação no tendão.

Classificação em Graus da Epicondilite Lateral


Entender os diferentes graus da epicondilite lateral é vital para um tratamento adequado:

  • Grau 1: Caracteriza-se por dor leve, geralmente após atividades específicas, sem limitação significativa das atividades diárias.
  • Grau 2: Inclui dor moderada que pode ser sentida durante e após as atividades, limitando a execução de algumas tarefas.
  • Grau 3: Envolve dor severa, persistente mesmo em repouso, limitando a maioria das atividades do dia a dia e reduzindo a qualidade de vida do paciente.
  • Grau 4: Representa o estágio mais grave, com dor extrema e incapacidade funcional, onde pode ocorrer a ruptura do tendão.

 

Tratamento Abrangente da Epicondilite Lateral


O tratamento para epicondilite lateral varia conforme a severidade:

  • Além do repouso e aplicação de gelo, terapias como ultrassom terapêutico ou laser podem ser efetivas para reduzir a inflamação e promover a cura do tendão.
  • A fisioterapia se torna mais especializada, com exercícios voltados para o fortalecimento gradual e a recuperação da mobilidade do cotovelo e do antebraço.
  • O tratamento com ondas de choque feito pelo médico ortopedista também pode auxiliar no manejo da epicondilite lateral. As ondas de choque são ondas de alta pressão e energia que contribuem para melhorar a dor e diminuir a inflamação do tendão.
  • Injeções de ácido hialurônico e proloterapia são técnicas minimamente invasivas que apresentam bom resultado no tratamento da epicondilite lateral.
  • Nos casos em que não houve boa resposta com os tratamentos convencionais, pode-se realizar uma cirurgia para liberar o tendão doente e resolver a dor no cotovelo..

Cuidados em Caso de Ruptura do Tendão


A ruptura do tendão na epicondilite lateral pode ocorrer em decorrência da degeneração do tendão que ficou doente por muito tempo. O ideal é tratar antes que isso ocorra, mas caso você procure o ortopedista após já ter rompido, existem formas de tratar, como o uso das ondas de choque, infiltração de ácido hialurônico ou plasma rico em plaquetas, e a cirurgia para liberar e reinserir o tendão.

 

Conclusão


O tratamento eficaz da epicondilite lateral requer uma abordagem detalhada e personalizada. Com diagnóstico e tratamento corretos, a maioria dos pacientes pode esperar uma recuperação completa e um retorno às suas atividades normais. Consulte um médico especialista para receber o cuidado apropriado.

Dr. Carlos Vinicius Ortopedista SP

Sobre o Dr. Carlos Vinícius

O Dr. Carlos Vinícius é referência no tratamento por ondas de choque em São Paulo. Formado há mais de 10 anos pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), se especializou em cirurgia do joelho pela Universidade de São Paulo (USP) e finalizou seu doutorado em Ciências da Cirurgia também pela UNICAMP.

Saiba mais

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn