lesão do ligamento cruzado anterior

Rompi o LCA, mas não sinto nada. Devo ir ao médico?


A lesão do ligamento cruzado anterior (LCA) só chama atenção do paciente no momento que ocorre, porque dói, é difícil de andar e o joelho edemacia (incha). Aí, você, preocupado, procura o ortopedista que faz o diagnóstico de ruptura do LCA.


ENTRETANTO…


No decorrer dos dias, esse quadro mais exuberante deixa de existir, permitindo que você retome suas atividades não esportivas normalmente. A melhora é tão significativa que muitos até ousam praticar esportes de risco mesmo com a lesão do LCA.


E O QUE ACONTECE?


Você deixa de se preocupar com a lesão e não se trata. Muitos até falam pra mim: “estou bem Dr., preciso mesmo tratar?”.

Se você soubesse a quantidade de pacientes com mais de 40 anos que eu já atendi, e continuo atendendo, que atualmente sofrem com dor no joelho porque não tratou a lesão do LCA, você já teria marcado uma consulta sem pestanejar.

Para a maioria das pessoas, os sintomas da lesão do LCA só se manifestarão durante atividades esportivas de risco, que são aquelas que envolvem giros. Então, se você não fizer isso, não sentirá nada A CURTO PRAZO. Mas a médio e longo prazo, se você não se tratar, poderá sentir. 

O problema da lesão desse ligamento é que ela acarreta a lesão de outras partes do joelho (meniscos, cartilagem e osso), que levará à destruição da articulação. A essa destruição damos o nome de artrose.

A artrose é praticamente inevitável em quem lesou o LCA. Mas tratar adequadamente é o que define se isso ocorrerá mais cedo ou mais tarde. E quanto mais tarde isso acontecer, melhor pra você.

E quando a artrose sobrevier, é bom já estar bem acompanhado com um ortopedista especialista. Cuide-se e previna-se!

Dr. Carlos Vinicius Ortopedista SP

Sobre o Dr. Carlos Vinícius

O Dr. Carlos Vinícius é referência no tratamento por ondas de choque em São Paulo. Formado há mais de 10 anos pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), se especializou em cirurgia do joelho pela Universidade de São Paulo (USP) e finalizou seu doutorado em Ciências da Cirurgia também pela UNICAMP.

Saiba mais

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn