ortopedista especialista em Joelho

O LCA é mais esperto do que parece


Engana-se quem pensa que o ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho não passa de uma espécie de corda que dá firmeza ao joelho. Ele é muito mais do que isso. O LCA possui um sistema de sensores que auxiliam os movimentos do joelho. Isso é muito importante pra quem quer evitar ou já sofreu a lesão do LCA.


Sistema de sensores do ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho


Ao contrário do que se pode pensar, o LCA é um tecido vivo, ou seja, possui células vivas. Portanto, ele não é simplesmente um tecido inanimado que funciona como uma corda que fixa a tíbia (osso da perna) ao fêmur (osso da coxa), dando firmeza ao joelho. Dentre as várias células que povoam o LCA, existem células muito especiais, chamadas de mecanorreceptores. Esses mecanorreceptores são para o joelho como os nossos órgãos de sentido (visão, audição, tato, paladar e olfato).


Como funcionam os sensores do ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho


Os mecanorreceptores são capazes de perceber os movimentos do joelho. Eles sabem, por exemplo, se o joelho está parado, ou se ele está fazendo um movimento rápido ou mais lento. Isso é sensacional, porque quando eles detectam os movimentos do joelho, eles informam todos esses sinais para o cérebro. Assim, o nosso cérebro consegue coordenar melhor os movimentos do joelho. Por exemplo, se os mecanorreceptores detectarem que o joelho necessita frear, o cérebro te ajuda a ativar os músculos que vão ajudar nessa tarefa.


Prevenção de lesões do ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho


O mais interessante disso tudo é que você pode treinar esse sistema de sensores do seu joelho. Isso se chama treino neuromuscular. Com treinos específicos para os movimentos do joelho, é possível melhorar a percepção dos movimentos, bem como a resposta reflexa às necessidades do joelho para cada situação (ex.: futebol, vôlei, basquete, etc). Para cada modalidade esportiva, existe um treino neuromuscular específico, e isso pode ajudar a prevenir lesões do LCA.


Como ficam os sensores em quem já rompeu o LCA


Existem dois grupos de pessoas que rompem o ligamento cruzado anterior. O primeiro são as pessoas que não fazem a cirurgia para reconstruir o LCA e tratam somente com a fisioterapia. O segundo são as pessoas que são operadas. Sempre que o ligamento rompe, há perda dos sensores de movimento do joelho. Mas, tem aquelas pessoas que conseguem se adaptar de outras formas sem esses sensores. Essas pessoas são chamadas de copers e podem fazer parte do primeiro grupo que comentei.

Já as pessoas que não se adaptam, precisam operar (segundo grupo). O lado bom é que, após operar, uma parte desses sensores é recuperada. Com isso, a pessoa operada tem maior chance de se adaptar ao “novo joelho”. Pra melhorar essa adaptação, é importante fazer a reabilitação de forma adequada, respeitando as orientações do ortopedista e do fisioterapeuta. Então, fique ligado e não deixe de seguir a prescrição médica.
Viu como o LCA é mais complexo do que parece? Por isso, se sofrer alguma lesão, consulte-se com um ortopedista especialista em Joelho. Cuide-se! Previna-se!

Dr. Carlos Vinicius Ortopedista SP

Sobre o Dr. Carlos Vinícius

O Dr. Carlos Vinícius é referência no tratamento por ondas de choque em São Paulo. Formado há mais de 10 anos pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), se especializou em cirurgia do joelho pela Universidade de São Paulo (USP) e finalizou seu doutorado em Ciências da Cirurgia também pela UNICAMP.

Saiba mais

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn