Síndrome do Túnel do Carpo no punho

Ondas de choque para Síndrome do Túnel do Carpo no punho


Dentro do punho, é como se existisse um túnel por onde passam os nervos, tendões e artérias. Quando esse túnel diminui de tamanho, ou quando o que tem dentro dele (nervos, tendões, etc) aumentam de tamanho, o espaço fica apertado. A primeira estrutura a sofrer com isso é o nervo. 

Se isso acontecer no nervo mediano, chamamos de Síndrome do Túnel do Carpo. Se for o nervo ulnar, chamamos de Síndrome do Canal de Guyon. Outros locais do corpo também podem sofrer com esse problema: tornozelo (túnel do tarso), cotovelo (túnel cubital), pescoço (desfiladeiro torácico) e quadril (piriforme).


QUEM PODE TER A SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO


Qualquer pessoa. 

Mas algumas situações impõem maior risco: gestantes, pessoas com diabetes ou hipotireoidismo, pessoas que fazem movimento repetitivo de dobrar e esticar o punho (ex.: na academia ou no trabalho), pessoas que dormem com a cabeça apoiada na mão, obesos, e indivíduos com artrite reumatoide ou outras doenças autoimunes.


PROBLEMAS DA SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO NO PUNHO


No início da doença, ela incomoda só à noite quando você vai dormir. Você sente os dedos da mão formigarem. Com o avançar da doença, o formigamento ocorre também durante o dia, até que ela passa a ser constante. 

Junto com o formigamento, é comum você sentir dor no punho, cotovelo e, às vezes, na mão.

Por fim, se você não se tratar, a doença pode ficar bem grave a ponto de você perder a sensibilidade dos dedos e a força da mão. Nessa situação, os músculos da sua mão atrofiam e ela fica deformada.


TRATAMENTO CONVENCIONAL DA SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO


Como a doença está associada a tendinites e outras doenças (ex.: hipotireoidismo), faz parte do tratamento abordar tudo, ou seja:

  • Fisioterapia
  • Alongamento
  • Fortalecimento
  • Modificação e correção da atividade física ou laboral
  • Melhora da ergonomia do trabalho
  • Infiltração local de medicamento
  • Controlar os distúrbios hormonais, autoimunes e nutricionais
  • Imobilização com órteses

Com essas medidas, até 70% dos pacientes exibem melhora. Por outro lado, se você fizer parte dos 30% que não melhorou, existe a opção de tratar com ondas de choque, antes de cogitar a cirurgia.


ONDAS DE CHOQUE PARA SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO


Primeiro, não confunda as ondas de choque com o “choquinho” da fisioterapia. Elas são uma onda de ultrassom mais potente capaz de desinflamar e cicatrizar tecidos. É o ortopedista que realiza esse tipo de tratamento.

O tratamento com ondas de choque para síndrome do túnel do carpo é eficaz em mais de 80% dos pacientes que já não tinham melhorado com o tratamento convencional. Em média, a dor melhora mais de 75%, melhora a inflamação no nervo e a função do punho. Os resultados se mantêm por pelo menos 6 meses.

A aplicação das ondas de choque é feita no próprio consultório, sem necessidade de anestesia geral. Para os pacientes que estão com muita dor pela síndrome, pode ser necessário fazer anestesia local.

Após a sessão de ondas de choque, sempre recomendo repouso de atividades com esforço por 1 a 7 dias.

Acha que pode ser útil pra você? Verifique com um ortopedista especialista se você tem indicação para as ondas de choque para tratar sua síndrome do túnel do carpo.

Dr. Carlos Vinicius Ortopedista SP

Sobre o Dr. Carlos Vinícius

O Dr. Carlos Vinícius é referência no tratamento por ondas de choque em São Paulo. Formado há mais de 10 anos pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), se especializou em cirurgia do joelho pela Universidade de São Paulo (USP) e finalizou seu doutorado em Ciências da Cirurgia também pela UNICAMP.

Saiba mais

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn