lesões no joelho

Quais as lesões mais comuns no joelho?


Lesões no joelho são muito comuns e podem acontecer em pessoas de todas as idades. Existem diversos tipos de lesões no joelho, mas algumas são mais comuns do que as outras.


Lesões no joelho: o que saber sobre elas?


As lesões no joelho podem ser causadas por movimentos inadequados, quedas, pancadas e doenças preexistentes (ex.: a obesidade). É muito importante consultar o especialista assim que o paciente sentir algum sintoma, porque uma dor ignorada pode se transformar em algo maior e incapacitante. Procurar o atendimento médico especializado pode mudar o seu prognóstico!


Rompimento do ligamento cruzado anterior (LCA)


A ruptura do LCA é a maior causa de cirurgia do joelho decorrente de traumas no esporte. Ela pode ocorrer por duas maneiras principais: com contato e sem contato. Na maioria delas, sem contato, o LCA rompe após a desaceleração abrupta durante um movimento de rotação do corpo, como num drible. Na lesão com contato, o LCA rompe após uma pancada, como após sofrer um “carrinho” no futebol. Em atletas, o tratamento é cirúrgico e consiste na reconstrução do LCA utilizando um enxerto de tendão retirado do próprio paciente.


Condropatia patelar


Essa lesão é extremamente comum em mulheres. Muitas vezes, o paciente nem tem sintomas, e só vai descobrir quando a lesão está mais grave. 

A patela é um osso sesamóide que tem o formato de uma roda, por isso ela também é chamada de rótula. Ela é super importante no movimento de esticar o joelho. Por isso, quem tem condropatia patelar, reclama de dor para movimentos que envolvem esticar o joelho, como subir e descer escada, levantar e correr.

A condropatia patelar é a lesão da cartilagem que protege o osso da patela. Na maioria das vezes, ela ocorre em virtude da sobrecarga diária do dia a dia. A lesão pode ocorrer também por conta de movimentos inadequados no esporte e por episódios de luxação da patela (i.e., quando a patela sai do lugar). 

O tratamento não cirúrgico é o mais realizado, e envolve fisioterapia, viscossuplementação, plasma rico em plaquetas, entre outros. Para casos mais graves, com lesões grandes e profundas, pode ser necessário realizar transplante de cartilagem (ex.: mosaicoplastia, transplante homólogo), implante de condrócitos (i.e., células de cartilagem cultivadas em laboratório), implante de membranas de colágeno, osteotomias (cirurgias para corrigir deformidades) e artroplastias (cirurgia para implante de prótese de joelho). 

Lesão do menisco


O menisco é uma estrutura que serve para amortecer os impactos que o joelho sofre no dia a dia. Por conta disso, o menisco é constantemente sujeito a forças que o desgastam com o tempo, até o ponto que ele pode romper. Outra forma de se lesar o menisco é após algum trauma, que rasga o menisco. 

As lesões por desgaste são normalmente tratadas sem cirurgia; i.e., com fisioterapia, viscossuplementação, plasma rico em plaquetas, etc. Já as lesões decorrentes de traumas frequentemente são tratadas com cirurgia, que pode ser sutura do menisco, meniscectomia ou transplante de menisco.


Agende uma consulta com Dr. Carlos Vinícius Buarque de Gusmão


Médico especialista em ortopedia e em joelho, o Dr. Carlos Vinícius Buarque de Gusmão possui mais de 10 anos de experiência em diagnosticar, tratar e acompanhar casos de lesões e doenças do joelho. Ele realiza cirurgias e tratamentos não invasivos. Agende sua consulta!

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn